quinta-feira, 20 de setembro de 2007

30 e mais...alguns.

Quando se chega a esta idade dos trinta e mais que um, dois, três… e por ai em diante, apercebemo-nos do tempo.

Do tempo que já passou, do tempo que talvez ainda vá passar e até mesmo do tempo que o tempo tem…

Pode ser uma percepção muito útil, isto é se não entrarmos naquele tipo de “crises” com consequências de comportamentos desviados e por vezes muito desadequados à nossa maturidade, num ápice de histeria e esquecendo que ainda podemos ficar por cá muito tempo ou daquilo que realmente queremos, possuídos de uma ávida vontade do experimentar seja lá o que for desde que se aja…sem pensar.

Conseguimos numa outra vertente, aproveitar esta nova consciência para ponderar, escolher, aprender a saborear, aproveitar sem desperdiçar cada segundo, cada momento, cada hipótese de recordação com ou sem arrependimento. O que importa é sentir que se sente a vida.

Acho que posso dizer que estou a viver assim estes trinta e mais alguns, numa espécie de viver o dia-a-dia por vezes com muitos contratempos mas com uma noção diferente do passar das coisas e da consciência do passageiro que tudo é.

Estamos sempre sujeitos a mudanças. Estamos sujeitos a mil e uma coisa que nunca imaginámos. Estamos sujeitos ao desgosto e também à felicidade.

Seja lá o que for ou como for, sinto-me bem. Comigo e com os outros e pelo facto de querer viver. Simplesmente…isto.

19/09/07

2 comentários:

Andruxa disse...

:-) bem B,identifico-me a 100%!!! mesmo mesmo! e é tão bom...sentir-me assim...bem...vivendo o dia a dia..sem pressas...gosto dos trintas e picos!! beiinho grande

Ps-paarabens pelo blog...ta mt giro!

b disse...

Obrigada babes, pelo elogio e claro, pela participação. Um beijo.