segunda-feira, 29 de outubro de 2007

"O diário de Anica Bouquet"

Cansada, Anica finalmente conseguiu livrar-se dos sapatos de salto alto. Tinha sido uma noite e “tantas”, aliás, tinha sido um casamento e TANTO. Depois de uma breve passagem pelo quarto de hotel de um casal amigo na companhia da irmã, cunhado e da sua companheira de quarto para as ultimas risotas e disparates da noite, foi finalmente deitar-se. Rosa que também estava cansada, acompanhou-a, já passava da uma da manhã (da hora nova) e o casamento tinha começado à uma da tarde, estavam as duas de rastos.

Sorte a da Rosa porque tinha tido direito a um cobertor quente na cama dela, Anica encolheu-se e deixou-se ficar quieta à espera de aquecer, mesmo antes de um fechar de olhos final ainda mandou um ultimo sms:

“Vou-me deitar agora. Estamos todos num hotel que é de alterne. O Padre, que é nosso amigo, ficou num quarto que se entra pela garagem e tem Jacuzzi. Foi inspirador, do especial que pode ser uma vida a dois. Pena que não tenhas estado cá para ver. Dorme bem. Beijo.”

Contada a estória podia ser bastante mal interpretada. Deu-lhe vontade de rir e assim adormeceu no meio de um suspiro resignado de satisfação. Não é nem todos os dias e muito menos meses ou anos que se tem oportunidade de desfrutar de um casamento assim. Amanhã teria de agradecer ao noivo, foi o ultimo pensamento que teve mesmo antes de adormecer.

Sem comentários: