sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Beco sem saída

Verde beco sem saída com vista para o mar. Caminhos de terra sem vontade para o voltar. Leve brisa de fim de tarde que se sente ao parar. Cheiros sentidos, toques fundidos , olhares celebrados em rasgos de sol. O mundo que se esquece enquanto entardece . Perfeita linguagem sentida. Momento comungado, infinitamente inacabado. Verde. Ar. Mar. Céu.

2 comentários:

johnnybgood disse...

mais uma vez a tua sensibilidade para as coisas simples e a tua capacidade em expressá-la deixam-me embasbacado

b disse...

...obrigada...!!!