segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Lua minha...

Vi palavras na Lua, que de mim ela tirou. Revi no reflexo em que sou sua, o brilho que me enfeitiçou. Eco, directo, ego. Instinto fascinador. Escrita de luar errante que chama para onde vou. Li que podia ser Tua, mas Lua minha, eu de ninguém Sou.

Sem comentários: