segunda-feira, 9 de março de 2009

dia da mulher

Ao fim ao cabo, é um dia como outro qualquer.
Por aqui e por ali, todos os dias existem coisas bem mais
importan
tes a serem lembradas para que nunca sejam
esquecidas. A fome, é só uma delas.


10 comentários:

Maldonado disse...

Assino por baixo! :)

b disse...

Maldonado,
Sei que assinas!:-)

Luis Bento disse...

E eu assino e divulgo! Vim de nenúfar em nenúfar e acabei aqui...
Vou ficar aqui... a coaxar...

blOOmproject disse...

Luís,
Obrigada pela tua visita, és muito bem-vindo. Volta e fica sempre que quiseres.:-)

paxxxeco disse...

ao menos que fosse o DIA DA MULHER COM FOME! sempre oferecia uma carga mais simbólica e ampla a este dia, em que muitas senhoras festejam como sendo: " o dia em que não levo no focinho com a bimby"! afinal este 8 de março tem a sua relevância, pelo menos ao nível da estatística da violência doméstica (não domesticada)!

Pastilhoka de Framboesa disse...

B, o dia de luta contra a fome também existe. Fui pesquisar e tentar perceber o porquê do dia da Mulher. Não ligo nada a estes dias, mas fiquei a saber aqui (http://www.suapesquisa.com/dia_internacional_da_mulher.htm) o porquê de exisitir este dia. Também merecemos, porque muito lutamos para chegar longe e se não nos derem as mesmas condições que dão aos homens, não teremos um prato de comida na mesa, de certeza!!!
Adoro o teu blog :)

b disse...

paxxxeco,
ora ai estaria um mote de campanha que não deixaria de atrair as atenções. em Portugal temos uma média de 52 casos de violência doméstica por dia, ou seja, 2 por hora, sendo que mais de 50% dos casos correspondem a vitimas que são casadas. e se ainda há quem pense que este tipo de crimes ocorrem maioritariamente nos meios rurais, engana-se. em Portugal, por exemplo, o distrito de Lisboa representa 33% do total deste tipo de processos. é um tema grave, sem dúvida.

b disse...

pastilhoka de framboesa,

eu sei, a questão, talvez não me tenha explicado bem, é mesmo essa. o facto de "ter que" haver dias. se por um lado é uma maneira de enaltecer os esforços bem sucedidos contra repressões passadas, por outro, a quantidade de feitos a recordar são imensos. não quero com isto minimizar ou banalizar todas as lutas travadas em prol da liberdade, da justiça e da igualdade de direitos, mas acho que devia ser uma consciência diária, de todos para todos.

e não gosto sobretudo do carácter comercial, mesma razão pela qual me passou a incomodar o Natal que com os anos se tem vindo a transformar num "Compral".

enquanto uns compram coisas que não precisam para nada, outros morrem por não ter nada para comer.

obviamente que merecemos ser lembradas, concordo contigo o mais possível, mas acho que existem nos dias de hoje e no momento presente, muitas coisas que não podem ser esquecidas e para as quais não devia haver um só dia, porque não chega, porque não há um só em que não aconteçam. 365 vezes por ano e 24h por dia, infelizmente.

obrigada pela tua visita e participação, gostei muito e volta sempre que te apetecer!

Pastilhoka de Framboesa disse...

Afinal falamos do mesmo! :) Concordo 100% ctg!

b disse...

isto a escrever é que a "gente" se entende...:-)