sexta-feira, 21 de agosto de 2009

doce amargo

"não sei se é doçura ou somente um rendição involuntária à consciência que o tempo passa e do pouco que temos para o gozar com o coração, repleta-lo de tristeza não nos faz mais contentes. esta doçura talvez não passe de uma forja cobarde que me ajuda à ilusão que podemos decidir ser felizes."

foi o que respondi hoje quando alguém me disse que eu era a pessoa mais doce que alguma vez tinha conhecido.

tenho dias, e nem todos são meus...

4 comentários:

Maldonado disse...

Nem sempre podemos ser doces para todos... :)

b disse...

e às vezes Maldonado, nem sequer connosco próprios. olá!

bono_poetry disse...

E aproveitando o coment do maldonado...nem os doces saiem sempre da mesma forma...

b disse...

olá bono! e felizmente, senão sabiam todos ao mesmo...:-)